quinta-feira, 29 de julho de 2010

Mau hábito.

     Em meio a tantas podridões que temos visto no mundo, e até mesmo dentro da Igreja, é muito, muito bom mesmo, ver os milagres, as restaurações que Cristo continua fazendo na vida das pessoas.
     Vemos o aumento desenfreado de iniquidades, pecados, de maldades onde a criatividade humana não tem limites. Estamos tão habituados a isso que é quando vemos um caso como o de Jeff Myers que mais nos espantamos. É tão normal ver e ouvir sobre erros, pessoas praticando o mal, vivendo na destruição, no pecado, que quando vemos uma notícia de restauração, milagres, até nos espantamos.
      Pois é, parece que nem tudo está perdido ainda. E creio que nem estará. Ainda há pessoas largando tudo, todo o brilho do mundo e se entregando à Vida, ao Caminho à Verdade. Que mais casos como esses venham à luz para que possamos nos animar e superar os dias maus.
      Que Jesus seja nosso mestre e guia nesse tempo difícil que se aproxima. Amém.



quarta-feira, 28 de julho de 2010

Corrigir ou não corrigir?

    “Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte”. (Provérbios 23:13-14 NTLH)

    Essa lei anti-palmada está dando o que falar. Mas como sempre, as pessoas falam, falam e não fazem nada. Impressionante como a população está conformada, ou pelo menos se mostra assim, com o fato do Estado estar querendo se intrometer em nossas vidas, nas nossas casas.
    O querido Presidente da República, em mais um surto megalomaníaco, resolveu mudar o mundo e defender as pobres criancinhas indefesas de serem educadas por seus pais. Realmente, isso é um perigo...para o Estado.
    Não é interesse do Estado cidadãos bem educados, famílias bem estruturadas, pais com autoridade. Bem pelo contrário, quanto maior a desordem na massa, melhor!
    O Lula acha ruim apanhar. Isso porque ele não levava as "palmadinhas educativas", ele era espancado por seu pai, que constantemente chegava bêbado em casa.
    Hoje ele quer proibir e punir ações que ele não sofreu quando criança, talvez se tivesse levado umas varadas e uma chineladas, não fosse o que é hoje.
    Buscando notícias e vídeos sobre o assunto na internet, me apavorei com o que anda sendo comentado por aí. A mídia vende a ideia de que está tudo bem, que as pessoas estão gostando, que não precisa de palmada, o negócio é só conversar.
    Ora, sou professora, sei o tipo de criança que chega na minha mão. São casos de crianças totalmente desobedientes, desrespeitosas e cheias de vontade. São alunos que te xingam, te mandam pra lugares muitas vezes não habitados e, em alguns casos, que até tentam ou batem em professores. E qual a arma que temos??? A conversa, o diálogo!!! E nós não usamos??? Sim!!!! E muito. Eu paro a minha aula toda vez que julgo necessário. Dou discurso, explico, converso. Acredito, sim, nesse tipo de educar. Senão eu não estaria na profissão. Mas e os pais? Não fazem nada pelo estado que os alunos chegam a nós.
    Que apoio eu tenho do governo nesse sentido? Nenhum! Nem que eu seja espancada por um aluno, eu irei ter algum apoio do Estado. No máximo, farão uma reportagem comigo, de olho roxo, toda quebrada, mostrando a minha mágoa com a profissão, reclamando do tratamento e do salário baixo.
    Quem quer cobrar e punir, tem que oferecer assistência, apoio, ajuda.
    É o marxismo querendo se mostrar. Nada contra, nem a favor do marxismo, mas o governo querendo ser responsável pelos filhos?? Tudo bem! Metam-se nas nossas vidas, nas nossas casas, mas arquem com as consequências de uma geração totalmente perdida.
    Nunca pensei que um dia iria dizer isso, mas estou preferindo uma ordem direitosa que uma bagunça esquerdista.
    Não se metam nas nossas casas, nas nossas famílias, na criação de nossos filhos.
    Onde está a nossa liberdade?
    Por fim, Lula, proiba a cachaça, ao invés da palmada educativa, pois é ela a responsável pelas surras que tu levavas na infância. 
    Estou com a Bíblia e não abro:

“Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte”. (Provérbios 23:13-14 NTLH)

“Aquele que poupa a vara odeia seu filho, mas aquele que o ama tem o cuidado de discipliná-lo”. (Provérbios 13:24 NIV)

“É natural que as crianças façam tolices, mas a correção as ensinará a se comportarem.” (Provérbios 22:15 NTLH)
“A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela”. (Provérbios 22:15 NVI)

terça-feira, 27 de julho de 2010

Será?



     Eu vejo cada vídeo estranho na internet que já não sei mais no que acreditar. Mas se tratando de EUA e de catástrofes, Hollywood está cheia delas e dizem que ela é termômetro para a realidade. Todo caso, prefiro suspender meu juízo e ser cética nesse sentido, não acreditando e nem deixando de acreditar, afinal, nos tempo que estamos vivendo, tudo pode acontecer.
     Assista e tire suas próprias conclusões.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Quero ser santa!




    Sabe quando se está em dúvida, mas Deus usa a dúvida pra te fazer cair na real? Pois é, Ele tem feito isso ultimamente. O fato é que tenho me irritado com meus defeitos, me irritado com aquelas coisas que sei que desagradam a Deus, e até mesmo com aquelas que já ficaram para trás. Sei que essas tenho que esquecer, pois tudo se fez novo, mas tem outras, essas que insistem em permanecer em mim, essas sim, eu não aguento mais. 
   A última que me aconteceu foi conhecer um "cristão" que contrariou tudo aquilo que eu sei, pelo menos teoricamente, que é um perfil cristão. Enquanto conversava com essa pessoa, foi me dando uma agonia, me revoltando certas coisas que ela dizia. Ao mesmo tempo que me revoltava, eu pensava : "Poxa, eu sou falha em tal, tal e tal coisa, como vou julgá-la??" Então, me esforcei para não julgar esse irmão. Mas o que me impressionava, era o fato do erro dele ser consciente. Ele não errava por ser uma característica dele, da personalidade ou do temperamento dele, mas porque simplesmente ele queria aproveitar a vida. O mais espantoso é que ele não se julgava desviado, tem plena convicção que está dentro da patota cristã. 
   Isso me deixou angustiada, ele me disse: "Tu sempre foi cristã?" Eu respondi que não, claro, afinal, me converti aos 20 anos. Ele então me respondeu: "Então, eu sou desde criança, tu já aproveitou a vida, agora é a minha vez". Bom, no sentido do aproveitar a vida que ele estava querendo tratar, eu definitivamente não aproveitei. Mas mais uma vez, fiquei espantada com tal declaração. Eu fiquei pensando: "Poxa, eu sou nova na fé, esse cara está há tanto tempo na igreja, o testemunho dele deveria edificar a minha vida." Mas não. Graças a Deus, eu conheço e convivo com pessoas que tem testemunhos de vida maravilhosos e posso ver Cristo na vida delas, assim como já vi muitas bênçãos que Ele fez na minha, porém, e se não fosse assim? E se eu estivesse fraca, precisando de um upgrade na fé? Necessitando de uma revitalização? Que tipo de influência o testemunho desse menino teria me causado? Sério, eu argumentei com ele todos os princípios cristãos que aprendi até hoje e ele não aceitou... 
   Foi um choque pra mim...Eu sei que há aqueles que se dizem cristãos, mas não são comprometidos com o Senhor, mas mesmo assim...A teimosia dele me impactou. O fato é...não estou querendo julgar essa pessoa...mas aprender algo a partir disso...Quando resolvi escrever esse post, estava com as ideias todas confusas na cabeça, e me parece que não foi muito diferente passando-as para o blog, mas meu objetivo era organizar melhor meus pensamentos... Queria aprender algo com tudo isso...
   E o que eu tirei dessa história é...qual o testemunho que tenho dado? Será que minhas atitudes motivariam alguém a escrever em um blog sobre como se espantou com um mau testemunho? Será que eu não sou capaz de edificar alguém mais novo na fé do que eu? O que eu realmente quero viver e testemunhar para as pessoas?
Eu quero ser santa, quero ser separada, quero que Deus olhe para mim e pense "é assim mesmo, minha filha".
Não quero mais permanecer nos meus erros, quero mudar, quero evoluir, quero abandonar tudo que possa motivar alguém a fazer um post de espanto em um blog.
Me ajuda a mudar, Senhor, me perdoa por não ser uma discípula genuína, por não te agradar em cada palavra e gesto meu.
Sou tão mais feliz quando estou mais próxima de ti. Não posso me esquecer nunca disso.

Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.
Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.
Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.
Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo. Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.Te amo.

Pra toda eternidade, teu vaso, Senhor.

sábado, 24 de julho de 2010

Pontos??

video


Tem quase 2 anos desde a última vez que atualizei este blog. Poxa, tanta coisa mudou, algumas permaneceram as mesmas ou sofreram pequenas mudanças, mas uma coisa é fato: há ainda, dentro de mim, muitas perguntas sem respostas, muitas dúvidas, incertezas e os fatídicos Pontos de Interrogação.
Alguns deles eu sei que nunca serão eliminados, ficarão lá, guardadinhos na salinha escura das dúvidas, voltando inesperadamente, nos momentos mais inapropriados, fazendo com que eu me quebre de tanto pensar, analisar, pesar, repensar...
Mas tudo isso, faz de mim o que eu sou. Uma grande obra do Artista. Talvez uma parte da obra mais complexa dEle.
É assim que o Artista me fez. Cheia de Pontos de Interrogação. Alguns Ele mesmo já eliminou, porém outros, continuam saltando desesperadamente na esperança de vir à luz.
Provavelmente, algum propósito o meu grande Artista Criador tinha ao me criar essa metamorfose ambulante. Continuarei atenta, tentando eliminar alguns Pontos insistentes. O primeiro deles é se eu continuo a escrever nesse blog que, provavelmente, continuará esquecido.


Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.